segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Coração Pulsante

'o que gosto mesmo, é quando minha alma se perde e todos os meus sentidos afloram: sinto o vento bater forte na minha face, e as flores tem um cheiro adocicado,posso apalpar o ar com um simples toque, ouço um canto que ecoa do mais profundo do meu ser, e os meus olhos, ahhh os meus olhos eles se perderam no azul do céu em meio ao brilho do sol, a vida esta pulsando dentro de mim."


By Elisa

sábado, 29 de janeiro de 2011

Amor correspondido

Vou amar, como jamais amei ninguém,
doar-me completamente,
todas as minhas forças,
todos os meus sonhos,
minha energia,
meu corpo,minha alma,
meu espírito.
fazer desse amor,
minha maior aventura,
minha filosofia de vida,
minha busca e descoberta
minha  única e última entrega.
esse amor será meu guia,
um deus no meu interior
eterno,intenso e inteiro amor.
amor sem limites,
sem tréguas,sem regras.
amor sem pudor,sem vergonha,
transparente,sem medo da dor.
amor que se aprende só,
independe do outro.
amar o meu ser,
todos os detalhes do que sou,
assim como sou,
amar a mim mesma!

By Elisa

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Lua Crescente

Tem dias em que desejo ser lua, e iluminar os homens

desfilar pelo céu totalmente nua sem medo ou pudor
passar a noite espiando becos,vielas, vales e montanhas,
Ouvindo o silêncio das estrelas, o susurro das matas
e o canto dos pássaros.
É tem dias que desejo ser lua, pra conhecer os segredos das eras,
ouvir as histórias da terra,
ser chamada de linda e inspirar poesias.

By Elisa

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Destino

É que as vezes eu me entrego
assim feito água, quando se derrama
na cachoeira...

e vou deslizando em meio as pedras,
ora batendo de forma violenta,
ora acariciando o que não aceita carícias.

apesar de parecer que desço sem rumo,
no fundo, desde o ínicio, quando
deixei a nascente,  já sabia onde ia chegar.

é que as vezes  eu esqueço...
me lanço em desespero descendente....
e me perco no silêncio das matas fechadas.

eu nasci pra isso,
pra descer as montanhas,
e circular pelos vales, abrindo caminhos,
buscando passagens.

não é um objetivo,
nem mesmo um carma..
vocação? talvez!
chamado?não sei!

sei que desço,
feito lágrimas no rosto de criança...
meu destino?
é desaguar no oceano!

By Elisa