segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Responda pra você

por que me desdobrar pra ser compreendida
por um mundo que perdeu a razão?
por que me preocupar com o que pensam.
se o pensar é a causa de toda loucura?
por que me sentir desconfortável
se há muito despediram a harmonia?
por que trabalhar tanto pra pertencer
a um povo que perdeu seus valores?
por que buscar respostas?
por que chorar?
por que sofrer?
por que pensar?
por que?
por que?

By Elisa

domingo, 26 de dezembro de 2010

Sonhei esta noite
com suas mãos que me tocavam
e dispertavam meu corpo pro mundo.
A vida exigia que eu estivesse nua.

Naquele instante desejei ser somente tua,
e assim poder ser apenas uma.
e não mais me perder.

Foi assim que me deixei levar,
e vi minha alma entrelaçada na tua
que tambem estava nua.

O universo deixou de ser um mistério,
contou a nós todos os segredos
e assim perdemos totalmente o medo.

Com você dentro de mim,
fui absorvida por uma luz
e absolvida da minha cruz.

Era apenas um sonho
mas eu sei, não foi só desejo.
Havia harmonia e beleza.

Eu abraçei a dor,
Me derramando em amor
Libertei-me de mim mesma
Me enchi de luz!

By Elisa

sábado, 25 de dezembro de 2010

Imensidão

As vezes a noite initerrupta de dor
ultrapassa o sofrer conhecido
Transborda as barreiras da ilusão
Inundando nossos corações


A poesia sem fim
Consola o poeta oculto em novas linhas
Alegra o papel nu
E ultrapassa suas meras palavras


Em vida real
Desistimos desta falsa ilusão
Só, somente nós
Cansados de almoçar nossos vomitos
Procuramos algo para agradar o inssaciavel


Procuramos vida
Após nós vermos mortos
Procuramos paz
Por estarmos exaustos da guerra
A dor não nós fará voltar


Seguiremos pela estrada sem fim
Caminhando sobre as estrelas do ceu
Famintos, queremos enfim, a REALidade

Alquimia viva ao pé da serra
Paro
Assim, transcendo as superficies
E vibro pela esperada paz


Aceitando o proprio destino
Livramo-nos do enorme fardo que é o querer
Transformamo-nos em nada
Completando o todo


Lagrimas de amor escorrem enfim
Se nada sou, nada quero
Nada espero
Escuto vida, nas asas de uma nua borboleta

Assim vivo,
Entre a dor e o viver
Entre a paz e o sofrer
by Allyson

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

...Voe

Asas abertas ao vento,no cume da montanha
a paz descança,
no colo da esperança.
Pássaros sobrevoam,
Flores e passados,se confundem nas cores vivas do amanha.
O ímpeto do canto livre de uma águia, desperta alegria.
Disperso, um bando de andorinhas
escurecem o céu anunciando o verão.
Eis que é chegada a hora, o melhor tempo é agora
a vida te chama pra fora.
Voe!

By Elisa

...

 é que as vezes eu me sinto assim:
 dividida dentro de mim,
 sem entender o que sou.
 Ora querendo ser inteira, outras intensa!
 E nessa imensa dança da vida,
 continuo meus passos e movimentos,
 esperando e sendo esperada,
 desejando sempre algo além..."


By Elisa

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Mais uma noite

Menina vamos,
sorria mais esta noite!
acredite, espere um pouco mais.

Viver não é nenhum sacrífcio.

Apenas,deixe seu coração aberto.
sinta o vento, o perfume das flores
ele está em toda a parte.

Esqueça a dor por alguns instantes,
isso não vai durar pra sempre.
permita-se.

Olhe com os olhos do coração,
veja o que ninguém pôde ver.
Ouse sonhar!

Apenas esta noite não chore,
ouça o silêncio.
Ele tem uma mensagem pra você

Viver não é nenhum sacrifício.


By Elisa

Busca

Quero um amor.

E que ele venha trazendo tudo o que é novo.
De novo.
Sim que ele não tenha pressa,
que não ame a guerra.
Seja leve,meigo,
que odeie o preconceito.
Ah claro! que ele venha do coração,
que é de onde brota toda ação.
Que ele se derrame feito água,
sem que precise guardar qualquer mágoa.
Amor  menino.
Amor criança, que faz da vida uma eterna dança!


By Elisa

Lua

Eis que ela surge no céu, feito um mito
esbanjando esplendor.
Seu brilho atrai olhares em várias partes do mundo.
Suas formas arredondadas denuncia sua força yin.

Encantadora!
Um luzeiro que reveza com o sol
e doa sua força para equilibrar a escuridão.

Lua minguante,
Lua nova,
Lua crescente,
Lua cheia,
Lua bela
Lua eterna!

By Elisa

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

ABSTRATO

Me sinto tão perto e tão longe,
Tão perto do nada e tão longe de tudo!

By Elisa

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Semente

A semente perdida
esquece que é vida
potencial de alegria
dispersa energia.


Dando e doando-se,
sem pensar no outro dia.
Tudo é muito
e do muito é nada.


Ha portas escancaradas,
outras ainda trancadas,
mas há muitas fendas
por onde a dor entra
e se senta.


A semente perdida
encontra a terra, mas
se perde totalmente
na teia da vida.


Semente que vem de dentro
do meio do ventre,
vem pra trazer o novo,
um descanço, um consolo


Vida enredada de zelo
cheia de apego,
vestida de negro
e viciada no medo.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Sonho

Era  uma mulher,correndo nua em direção as montanhas,
seus gritos ecoavam dentro do vale, e a terra toda gemia
com a sua dor.
O céu a contemplou por alguns instantes e decidido, a
envolveu completamente, a tomou no colo e a embalou
feito um bebê.
O vento espiando de longe viu quando a mulher adormeceu
nos braços do céu e começou a soprar aliviado.
O sopro do vento tornou-se uma canção que despertou todas
as criaturas
 A mulher então,  pôs-se a dançar e tamanha era sua força
que a terra vibrava de prazer.
As flores se abriam, as árvores davam seus frutos, os animais
se acasalavam e davam suas crias.
Eis que o mundo renascia.

By Elisa

OFICINA DE POESIA - FUNARTE 2010





Complemento

Talvez eu vá me esconder em mim,
a paralelidade do meu íntimo mundo
me complementa de magia e encantos...

A devassidão aterroriza todos os meus sentidos...
Certeza tenho...
Vou me esconder em mim.....

By Camila Alê

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Naturainspira


A natureza me inspira
seu poder de renovação, força criadora,
o paradoxo de beleza e horror, morte e renascimento,
sua resiliência, ao abrir-se para o caos,
sua esperança ao florescer, dar frutos,alimentar o mundo!
natureza, grande guerreira!

Irregular

Se eu abandonasse
Tu abandonarias
Ele abandonará
Quando nós abandonarmos
Vós abandonareis
Abandonem vocês!

By Elisa

Citações

As flores se abrem lentamente, mas florescem sempre na estação certa.! (Elisa)

Poesia na vida faz bem, é como óleo nas engrenagens. (Thiago Lopes)

O poeta é um artísta,
um médico,
um médium
um libertador. (autor desconhecido)

Poesia é libertaçao. (autor desconhecido)


Hoje vou me abster desses olhares absortos no nada!
Olhos que simplismente indagam confusos!perplexos! 
Perdidos!  (Elisa)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Hambre de alma

Quantas noites eu passei acordada,
virava na cama, entristecida.
eu tinha fome

As vezes eu até chorava,desesperava,
engolia soluços,reprimia gritos.
eu tinha fome

A dor que sentia, por além de tudo,
não ser compreendida, quando tudo em mim ruia.
eu tinha fome

Onde? em que lugar o universo escondia, eu jamais entenderia.
eu tinha fome.

Nem eu mesma saberia, o que então saciaria.
Desci pra dentro de mim, e lá então pude ouvir
uma conversa entre a alma e o espírito,mente e coração.
eu tinha fome.

Minha fome era antiga, por isso doía.
Tinha fome de Amor! E a Vida me esvaia.

By Elisa

O olhar do tempo

Eu olho o tempo sem nenhuma esperança,
olhar fixo, parado, perdido em pensamentos

O tempo olha pra mim,olha dentro dos meus olhos,
olhar fixo,vivo, cheio de expectativas

E ele me diz que já viveu o suficente para assistir
diversos invernos, muitos verões e inúmeros outonos,
e que jamais faltou a primavera

Que ao longo de várias geraçoes ele viu a chuva cair forte,
as vezes por tenebrosos longos dias, meses até.
Mas era certo que o sol surgia, com uma força tal
que resplandecia toda escuridão.

Diz que assistiu grandes guerras,
acompanhou homens em muitas batalhas,
presenciou a dor, a tortura e a morte.
E que a morte jamais prevaleceu sobre a vida.
A vida sempre ressurgia
e homens, mulheres, crianças, cidades inteiras
se reerguiam das cinzas. 

By Elisa

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Esperança

Seres caminham ao alto da montanha
Observando sete luas brilhando bela
Luz que irradia vidas
Vidas que transforma-se em luz

Luz que anseio ser ,
Vida que anelo viver
No meio do vento ouço uma sussurro
Uma voz que me impele a seguir

Me submeto a noite, mesmo que ainda seja dia
Tendo somente a confiança como guia.
Amanhacerá em breve eu sei, e
Enfim um pouco de alegria!

By Elisa e Ze

Desabafo

Muitas nuvens cobriram o céu essa noite
E cobriram também meu coraçao
Tanto que não pude ver as estrelas
E nem mesmo a luz que brilhava no meu interior...

Com minha vontade de viver
Adentro esta escuridão
Supero a dor deste anoitecer
E encontrarei minha estrela

Porque não há dor capaz de suportar
Um coração totalmente entregue a doçura de si mesmo
O lugar da minha maior batalha....
É onde vencerei a mim.

Sigamos com os olhos abertos
Pois a guerra é longa
O ser já foi gerado
Mas quando será nosso nascimento?


Agora. Passo a vislumbrar um novo horizonte
No distorcido e disforme mundo meu.
Sem culpa nem medo
Apenas o silêncio me persegue.

By Elisa e Zé

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Dê apenas a verdade!

Dê sua tristeza,
No lugar do seu sorriso embaraçoso!
Dê sua angústia,
No lugar da sua louca euforia!
Dê seu silêncio,
No lugar de palavras que soam como o vento!
Dê um Não,
No lugar de um sim, sem vontade.
Dê sua ausência física,
No lugar de sua presença ausente!
Dê apenas seu corpo,
No lugar de um teatro de conexões!
Dê sua raiva,
No lugar da sua disfarçada doçura!
Dê sua face,
No lugar de máscaras sem fim!
Dê seu ódio,
No lugar do amor egoísta!
Dê a mentira,
No lugar da falsa verdade!
Dê o prazer de te conhecer,
No lugar de se apresentar como algum outro!
De-me o direito de amar um ser imperfeito.
No lugar de me iludir com uma suposta perfeição!

Dê a verdade! Nada além.

by Elisa

Assim eu sou

Eu sou assim...
meio noite, meio dia,
meio céu, meio estrela,
as vezes nuvem.

Sou flor e pétala
aroma e espinho,
as vezes dor.

Sou choro e alegria,
medo e ousadia,
as vezes doce,
as vezes amargo.

Sou santa e profana,
as vezes sacana.
Sou inverno e verão
as vezes floresço.

Sou pequena e inocente,
as vezes mulher.

Sou perda e ganho,
as vezes dano.

Sou lágrima e sorriso,
as vezes paraíso.

Sou silêncio e distância,
as vezes lembrança.

Sou tudo e nada,
as vezes perdida.

Sou caminho e encontro
as vezes despedida.

By Elisa

Chorarei....

Eu quero chorar,
chorar muito, destampar,
mas eu só vou chorar se puder
manifestar a dor de um mundo vazio,
a aflição de pertencer a  uma geração estéril,
a vergonha de ser fruto do acaso.

Seu eu puder gritar no meio do choro,
gritar o desespero do meu constante silêncio e
os soluços reprimidos a dia,semanas,anos,há várias vidas.

Sim eu vou chorar,
feito um bebê que tem fome,
uma mãe de luto e sem rumo,
um amor perdido, não vivido.

Chorarei somente se não houver consolo,
nem tempo.
chorarei sem medo, sem reservas.
choro contido, seguro

Vou chorar somente se nao me pedirem pra calar
Chorarei!

by Elisa

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

ARTE DE RUA...

eu sou assim, meio noite meio dia...
meio céu, meio estrela...as vezes nuven!

 


Sou flor e pétala, aroma e espinhos...
as vezes dor!!!
sou cheiro e alegria medo e ousadia...
as vezes doce, as vezes amargo...
sou inverno e verão, as vezes floresço!!!

by Elisa

sábado, 13 de novembro de 2010

Vida de artísta...rsrs


roda moinho...
roda gigante......

roda pião........
o tempo rodou num instante...
as voltas do meu coração....


                   
               mas eis que chega a roda viva

                                                      

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

TUDO PODE SER NOVO...

Agora eu tento ouvir alguns pássaros que se despedem da tarde, no meio de tanto barulho do mundo,carros, onibus, aviões, gente que passa nas ruas, nas calçadas, sem ver o dia que acaba, sem ver nada...
O céu harmoniza um frio e prepara o caminho pra lua nova. A noite chega abrindo-se, como uma bela poesia as estrelas dançam, um ritmo antigo, mas que se faz novo aos olhos daquele que as olha como se as estivesse vendo pela primera vez.
Tudo pode ser novo AGORA
!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Correr Riscos

Percebi hoje uma coisa interessante. Desde a minha infância, nunca tive nenhum corte profundo, nunca quebrei nenhum membro, jamais estive internada com alguma enfermidade, nunca sofri nenhum acidente doméstico que causasse algum dano físico; algo tão comum a maioria das crianças. E claro isso é motivo de agradecer.
Tenho sorte. Tenho sorte?
Como as crianças se machucam?
Porque elas se ferem?
O que estão tentando fazer na maioria das vezes?
Bom em última análise uma criança se fere, por sua curiosidade aguada em descobrir algo novo, ou ela tenta superar obstáculos, vencer limites que foram impostos a ela; do contrário, não aprenderia, não superaria, não venceria não poderia evoluir.
Muitas vezes nos consideramos " benção " nao passar nenhum sofrimento, ser poupado da dor, sendo que é ela quem muitas vezes vai moldar nosso caráter, nossa personalidade, nossa vida.
Fugir do sofrimento nem sempre é sinal de inteligência, pode ser sim muitas vezes sintoma de uma covardia crônica que nos levará a um processo de involução.
Descoberta de hoje: Viver é correr riscos,
riscos de sofrer,
de ser feliz,
de amar,
de odiar,
de ser amado,
de se perder,
e de encontrar-se.

terça-feira, 27 de julho de 2010

...Batalhas internas

Nós últimos dias tenho travado uma grande batalha contra mim mesma. E agora já não julgo meus inimigos, me vencer não é tarefa fácil.
Nunca o meu racional foi tão criativo e convincente.
As guerras normalmente se dão a noite, onde a alma finalmente se livra de tanto barulho externo, e ai então a batalha se concentra em um só ponto, o centro do ser - a mente.
Tem sido dias muito confusos apesar de toda a calmaria aparente, dentro de mim há vários redemoinhos.
Sei lá, pra nascer o bebê fica um tanto desinqueto, ansioso, teme o novo, mas anseia por ele com todas as suas forças, e tanto anseia que faz força e acaba rompendo seu cárcere, que outrora lhe foi útil; porém agora já não lhe serve mais. Há tanta vida lá fora!

...Viagem

Onde começou essa viagem?
Talvez ela tenha se iniciado quando eu pisei na terra, ou será quando eu respirei aqui pela primeira vez, não sei.
Teve momentos que eu acreditei que fosse possível seguir com minha vida normalmente, até quando percebi ser impossível, na verdade até então não havia " vida" nenhuma.
Então eu precisava começar a viver. Seria isso o tal " nascer de novo" ?
Eu vou, se esse é o meu caminho? Não sei, mas nesse exato momento eu decidi: Vou viver.
Há uma bifurcação em minha frente e sinceramente não há nenhuma dúvida, vou seguir uma direção e isso é tudo.